O óleo de fígado de tubarão é utilizado na elaboração de suplementos alimentares e produtos cosméticos, devido a que seus componentes fortalecem o sistema imunológico, previnem doenças cardiovasculares e possuem propriedades antioxidantes. Gostaria de saber mais sobre estas qualidades? Continue lendo.


Embora, para alguns, é um animal de aspecto aterrador, que sempre faz as vezes de vilão nos filmes, o certo é que o tubarão não representa perigo algum para o cotidiano cauteloso, nem para aqueles que praticam a pesca com as medidas de segurança pertinentes.


É mais, os produtos que se obtêm das diferentes classes de estes peixes da subordem dos escualos foram aproveitados durante muito tempo pela humanidade: a sua carne, cartilagem (os tubarões não possuem um esqueleto de ossos), e o azeite que se obtém de seu fígado moído e submetido a cozimento.


Óleo de fígado de tubarão, Tratamento de feridas da pele


Tradicionalmente, o óleo de fígado de tubarão tem sido um produto consumido em litorais devido a que lhe são atribuídas diversas propriedades benéficas para a saúde, como ser eficaz no tratamento de feridas da pele ou para aliviar a irritação dos aparelhos respiratório e digestivo, além de ser muito apreciado pelos marinheiros devido a que é considerado fonte adequada de força e vitalidade que também melhora a resistência ao frio e às doenças.


O certo é que, na atualidade, é aproveitado pelas indústrias de alimentos, farmacêutica e cosmética, pois o estudo de sua composição química foi capaz de revelar que, na verdade, conta com diversos benefícios:



  • Melhora a oxigenação do sangue.

  • Ajuda a regular o nível de triglicerídeos (principal tipo de gordura que viaja pelo sangue).

  • Dá proteção e flexibilidade das artérias.

  • Reduz o envelhecimento dos tecidos.

  • Ajuda a aliviar lesões na pele e, até mesmo, gera melhorias em casos de psoríase (doença que é caracterizada pelo espessamento da pele, lesões de cor vermelha, inflamação e descamação).

  • É bom anti-inflamatório.

  • Fortalece o sistema imunológico.

  • Reduz o risco de doenças do coração e artérias.

  • É útil em doenças respiratórias.

Tudo isto é possível graças às diferentes substâncias que o compõem, alguns de natureza muito particular.


Omega-3 e 6


Embora para muitos pensar em gorduras ou lípidos é sinônimo de obesidade, a verdade é que a maioria destes compostos são de grande utilidade para a formação de hormônios, desempenham importante papel no desempenho do sistema de defesa contra infecções (imunológico) e são essenciais para o funcionamento do cérebro e da rede nervosa.


Sendo mais específicos, a um grupo de medicamentos conhecidos como ácidos graxos são úteis para evitar doenças do coração, hipertensão, diabetes e artrite reumatóide, assim como vários distúrbios visuais e problemas em geral em todos os tecidos, já que são elementos que fazem parte das paredes celulares.


Pois bem, o óleo de fígado de tubarão contém grandes quantidades de ácidos graxos ômega 3 e Ômega 6, que previnem a formação de coágulos no sangue, ajudam a regular a pressão sanguínea e diminuem os níveis de triglicéridos; além disso, aumentam a flexibilidade das artérias e ativam o processo anti-inflamatório que reduzem o risco de sofrer de artrite, câncer, psoríase, diabetes e distúrbios das células.


Os Ómega-3 agem como anti-inflamatórios e anti-coagulantes, além de que se presume que a sua presença evita a geração de tumores, uma vez que se detectou que as mulheres com câncer de mama têm níveis baixos destes ácidos graxos no tecido afetado. Em ambos os Ómega 6 inibindo o excesso de secreção de sucos gástricos, mesmos que podem condicionar a formação de gastrite e úlceras, uma vez que podem reduzir a severidade de um ataque de asma, relaxando os tecidos dos tubos bronquiais.


Gliceroles


Em 1922, um grupo de cientistas identificaram um componente ativo do óleo de tubarão chamado alcaoxiglicerol, mesmo que se tenha estudado clinicamente desde a década de 1950 e que pertence à família dos gliceroles, conjunto de substâncias através das quais o leite materno fornece defesas dos recém-nascidos.


Com efeito, verificou-se que os tubarões são animais com alta resistência às doenças e que raramente sofrem de câncer, fato que talvez se deva ao alcaoxiglicerol que gera o seu fígado e armazenada em diferentes órgãos, com importantes funções imunológicas, como vasos linfáticos, fígado, baço e medula óssea.


Embora se continuam estudando suas propriedades, talvez essa substância seja a razão pela qual vários povos da pesca do norte da Europa e outras regiões frias do globo atribuídos amplos poderes preventivos e curativos ao óleo de fígado de tubarão; por exemplo, dizem que consumir com frequência fornece proteção e alívio contra infecções geradas em vias respiratórias, como bronquite, laringite e faringite, por exemplo. Não é para menos, já que alguns estudos consideram que há mil vezes mais alcaoxiglicerol neste produto no leite materno.


Esqualeno


Há séculos se sabe que o fígado dos escuálidos que vivem nas profundezas do Oceano Pacífico, representando 25% do seu peso, e que dele se obtém um óleo que já no século XVIII, era utilizado pelos pescadores noruegueses para ajudar na cura de feridas e lesões de pele.


No início do século XX, verificou-se que estes tubarões carregam em seu fígado peculiar substância, batizada em sua homenagem como esqualeno, que lhes ajuda a contar com energia, crescer e se reproduzir em um ambiente pobre em oxigênio.


O por que deste fato é que o esqualeno é uma substância que precisa tomar muitos átomos “emprestado” do ambiente que o rodeia para conservar-se, de modo que, ao contato com a água (formada por dois átomos de hidrogênio com um de oxigênio) quebra a molécula do líquido vital, arrebata o hidrogênio e o absorve, deixando livres moléculas de oxigênio que o animal procura para viver. Esta propriedade começou a chamar a atenção de vários investigadores, que foram encontradas ao longo dos anos que esta substância serve para manter o equilíbrio das gorduras da pele, absorvendo ou bloqueando aquelas que são prejudiciais ou excessivas.


Deste modo, o esqualeno demonstrou alta capacidade em fórmulas de alisamento que não deixam a pele oleosa, assim como aquelas destinadas à restauração dos óleos naturais da pele que é exposta ao Sol, vento, poeira e poluição.


Além disso, a característica necessidade de esta substância, por encontrar átomos para se estabilizar leva-o a bloquear os radicais livres, que são substâncias químicas que produzem envelhecimento e câncer da pele. Além disso, favorece a regeneração celular, cicatrização e eliminação de manchas da pele, como manchas e espinhas, já que menor quantidade de substâncias tóxicas permite que as células se regenerando e cumprem seu ciclo de vida de forma saudável.


Deste modo, o velho conhecimento dos pescadores nórdicos é usado agora pela indústria cosmética, já que podemos encontrar no mercado produtos para a pele que contém esqualeno como ingrediente principal, às vezes combinado com outros antioxidantes, como as vitaminas A e E.


Vitamina E


Esta substância é outro antioxidante incluído o óleo de fígado de tubarão, e sua principal contribuição para o organismo humano consiste em prevenir danos às membranas celulares, o que diminui o processo de envelhecimento gerado pela poluição ambiental, fumo do tabaco e pesticidas.


Além disso, ajuda a aliviar a fadiga, a dissolver coágulos sanguíneos, protege os pulmões da poluição, fortalece o sistema de defesa, acelera a cicatrização de queimaduras e feridas, e permite que as funções do fígado e tecido muscular se desenvolvam adequadamente.


Finalmente, essas substâncias e suas qualidades explicam por que o óleo de fígado de tubarão é muito utilizado em cosméticos, suplementos alimentares e outros produtos da indústria farmacêutica; porém, a sua obtenção não justifica a exploração irracional destes animais, os quais, embora marcados por estereótipos que nos fazem acreditar que são inimigos do ser humano, são vitais para a conservação dos ecossistemas marinhos.

Óleo de fígado de tubarão para lesões na pele
Rate this post