Dr. Saúde e Bem Estar

Portal sobre a vida

Category: Saúde e Nutrição

Alimentação, importante aliada na terapia homeopática

 


Muitas doenças encontram sua origem ou parte dele em maus hábitos nutricionais; por isso, a Homeopatia sugere que, para obter um tratamento bem sucedido, é necessário lançar mão do chamado regime adjuvante, que consiste em corrigir defeitos na dieta do indivíduo.


A Nutrição tem importância fundamental no nosso estado de saúde, tanto do ponto de vista preventivo como de cura e de melhoria da qualidade de vida. Se bem que é algo conhecido de outros tempos, a realidade nos mostra que a alimentação é cada vez mais desequilibrada.


Alimentação, importante aliada na terapia homeopática


Ainda, estima-se que 75% das mortes no México e em países desenvolvidos estão associados a doenças cardiovasculares (do sistema circulatório), diabetes mellitus (aumento da concentração de glicose no sangue, devido à incapacidade do organismo em aproveitá-la) e cancro, doenças que têm entre suas principais causas inadequado estilo de vida.


Neste contexto, a dieta desempenha relevante papel, pois a cada dia aumenta o consumo de gorduras, carnes vermelhas, farinhas refinadas, açúcares simples e guloseimas, o que dá lugar a obesidade, hiperlipidemia (aumento de gordura no sangue) e distúrbios metabólicos.


“Samuel Hahnemann, pai da Homeopatia, estabeleceu que a doença é conseqüência da energia vital afetada e, desde então, tal perturbação está intimamente ligada com o que comemos”, refere o Dr. Humberto Cota Gomez, especialista em Otorrinolaringologia e Homeopatia dedicado à prática privada.


Pela boca morre o peixe


Hábitos de vida, turnos de trabalho prolongados, pouco tempo disponível para comer e incorporação da mulher ao mercado de trabalho, entre outros fatores, estão modificando a forma de nos alimentar. A ingestão de alimentos tradicionais diminuiu no México e, ao mesmo tempo, ganharam terreno dos produtos “sucata“. Se a isto se soma a redução da atividade física, entenderemos por que foram aumentando as doenças crônico-degenerativas.


“Com frequência, os pacientes referem em torno de certos alimentos as seguintes frases: ‘eu sei que não é bom, mas eu gosto” ou “eu já estou acostumado a comer dessa forma’. O anterior deixa ao descoberto que a saúde está menos cotado que o ‘gosto’ ou ‘costume’, o que se tem agudizado pela presença de numerosos estabelecimentos de comida rápida, cuja mensagem publicitária se resume em ‘come gostoso e desfrute imediatamente'”, adverte o especialista.


Neste contexto, destaca-se a explicação de Samuel Hahnemann, em seu Tratado das doenças crônicas, que refere, entre outras coisas, que o bom médico deve reconhecer e remover os obstáculos para a cura. E, com efeito, um dos principais problemas é a má alimentação.


Há que se destacar que na luta diária contra a balança costumam cometer erros nutricionais, pois a maioria dos programas de perda de peso que se promovem em diferentes meios de comunicação prometem resultados imediatos, e nunca consideram-se determinado método é adequado para quem vai usá-lo.


Em consulta


“A Homeopatia sempre tem que ver o paciente como um todo, estudando os sintomas para observar o quadro completo e medicar com sabedoria, mas, além disso, é indispensável saber de Nutrição”, indica o Dr. Cota Gómez.


Acrescenta que a visão de Samuel Hahnemann era ampla e sábia quando aconselhava os médicos de sua época, do que dar importância a coisas que nunca antes haviam considerado, como dietas, alimentos benéficos e adversos, efeitos dos alimentos sobre os tratamentos homeopáticos e conseqüências do comportamento alimentar dos pacientes.


Além disso, neste sentido, é importante reconhecer que a Nutrição oferece grande ajuda em todo tratamento, pois ao seguir uma dieta equilibrada e otimiza-se o tratamento homeopático e, ao mesmo tempo, evita que o paciente recaia.


Para estar saudável


Como podemos ver, a base para manter a boa saúde é, sem dúvida, a dieta equilibrada, juntamente com rotinas de exercício, descanso adequado, assim como a higiene física e ambiental. Em geral se esquece ou se subestima que, na maioria dos casos, uma alimentação completa permite que o paciente se recupere mais rápido e que os medicamentos homeopáticos cumprem seu papel de forma mais eficaz.


“Se curar por meio da dieta é algo que todo mundo sonha, a realidade nos mostra que é mais difícil de modificar os pacientes, já que os distúrbios alimentares são provenientes de maus costumes que se aprendeu na infância e foram favorecidas pelos adultos. Por isso, é necessário trabalhar este aspecto com o paciente, proporcionando educação nutricional”, encerrou o homeopata.


O anterior, de acordo com o Dr. Cota Gómez, deve ser enfocado sob dois pontos de vista:



  • Prevenção. Baseia-Se nos resultados de todos os estudos científicos que comprovam as propriedades nutricionais e terapêuticas dos alimentos, componentes necessários para viver de forma saudável e as quantidades diárias que devem ser consumidas de acordo com idade, estado de saúde, sexo e estilo de vida.

  • A cura. Consiste na correção de hábitos alimentares, uma vez que as pessoas experimentam alguma tristeza.

É importante ter presente que a Homeopatia nunca concentra as doenças ou desequilíbrios como problemas isolados, por isso sempre tenta fazer, além de tomar a medicação adequada e praticar a higiene necessária, o paciente assuma corretamente a sua necessária participação ativa no processo de cura por meio de incorporações, retiradas ou substituições de alimentos.


As opiniões expressas neste artigo não refletem necessariamente o ponto de vista da Associação Nacional da Indústria Farmacêutica Homeopática, A.C. (Anifhom).

Alimentação, fator de risco para desenvolver câncer de mama

De acordo com recentes pesquisas, cerca de 30% dos cânceres estão associados ao estilo de vida, em especial ao consumo de tabaco e álcool, assim como a alimentação. Este último fator chama poderosamente a atenção, pois considera-se que 7 em cada 10 mexicanas são obesas, em outras palavras, candidatas à doença letal.


O principal fator para desenvolver câncer, e perante o qual o afetado pouco pode fazer, é o fato de que algum familiar tenha sofrido esta doença. No entanto, particularmente na mulher existem outros fatores que também podem influenciar o seu aparecimento, como a idade (superar os 55 anos), exposição a radiações, e o uso de contraceptivos orais. Sendo ainda mais específico, o câncer de mama pode ser influenciado também pelo número de gravidezes e a idade em que se tem a primeira menstruação (menarquía) e/ou a última (menopausa), pois em ambos os casos, quanto mais jovem, maior o risco.


Câncer de mama


No início do texto, fez-se menção de que álcool e tabaco são igualmente agentes de risco, sendo ambos viáveis de controle; não obstante, nesta ocasião faremos ênfase outro fator controlável: as dietas ricas em gordura que causam a obesidade. Neste sentido, o Dr. Victor Lira Porto, chefe de Oncologia do Centro Médico Nacional, Século XXI, afirma que “no México, a alimentação em geral é rica em gordura, o que motiva o aumento de peso corporal e a quantidade de estrogénios (hormonas femininas) no sangue, o que aumenta o risco de padecer de cancro da mama em mulheres, principalmente após a menopausa.


“Sabe-Se, por exemplo, que em países como o Japão, onde a alimentação é rica em fibras e peixes, os índices de câncer de mama são muito baixos, enquanto que na Alemanha as estatísticas aumentam consideravelmente porque o consumo de carne e gorduras é elevado”, acrescenta o especialista em câncer.


Os estudos a respeito datam de várias décadas, mas alguém recentemente realizado na Unidade de Nutrição de Cambridge (Inglaterra) indica que as mulheres que seguem uma dieta com um teor excessivo de gorduras, em especial as chamadas saturadas (presentes sobretudo na manteiga, laticínios integrais, carnes e alguns biscoitos e bolos) têm maior risco de desenvolver câncer de mama do que aquelas que não as consomem, tal como o deu a conhecer a vice-diretora da instituição Sheila Bingham.


Medidas preventivas


Como mencionou o Dr. Lira Porto, o segredo do baixo número de casos de câncer de mama em mulheres orientais reside na alimentação, na qual se baseia, principalmente, na incorporação de fitoestrógenos, substâncias obtidas do reino vegetal e que, ao consumir-se realizadas no corpo feminino, as funções de estrogênio.


Graças a eles, há baixos níveis de colesterol e triglicérides (tipo de gordura que afeta a saúde do organismo), devido aos seus princípios ativos chamados de isoflavonas, linhanos, coumastinas e lactonas do ácido resorcíclico, os quais, além disso, protegem contra micróbios, possíveis inflamações e desenvolvimento de osteoporose. Os fitoestrógenos são consumidos através de:



  • Soja. Leguminosa originária da China e trazida para o ocidente desde o início do século XX. É constituída por 38% de proteínas, que por sua vez engloba todos os aminoácidos de que precisa o ser humano, ou seja, os chamados essenciais (fenilalanina, isoleucina, leucina, lisina, metionina, threonina, tryptophano e valina, entre outros). Além disso, é um alimento rico em vitaminas, especialmente do complexo B, a vitamina B1 (tiamina), B2 (riboflavina), B3 (niacina), assim como de ácido fólico e minerais como cálcio, ferro e fósforo. Sabe-Se que tem propriedades antioxidantes, ou seja, evitam o envelhecimento acelerado das células. Aconselha-Se consumir 34 mg ou mais de planta inteira de soja em duas doses diárias, preferencialmente pela manhã e à tarde, pois desta forma, você reduz o colesterol é chamado mau.

  • Tofu. Derivado da soja, cujas sementes são colocadas de molho para depois cozedura; o líquido obtido é chamado de leite de soja, e após receber um coagulante natural (geralmente vinagre de maçã ou suco de limão) dá origem a um “requeijão”, que recebe o nome de tofu, o qual pode ser consumida de várias formas, entre elas na ração, patê ou salsichas. Além de aliviar o desconforto do climatério, que previne a descalcificação de ossos e o acúmulo de gordura nas artérias, o que afasta infartos e câncer.

  • Cimicifuga racemosa. Planta originária do oriente e da qual se aproveita medicinalmente o caule, onde se localizam glicosídeos triterpénicos e isoflavonas, cujo mecanismo de ação interage de forma eficiente com os receptores de estrógeno. Foi verificado que fortalece ossos e artérias, e reduz as quantidades de colesterol no sangue; é comercializado na forma de comprimidos revestidos de 20 g e é comum que seja prescrita pelo médico como complemento de um tratamento hormonal.

Agora, o outro segredo oriental está no consumo de fibra vegetal, a qual é formada por um conjunto heterogêneo de componentes: celulose, hemiceluloses, pectina, gomas e ligninas, cujas principais ações são atrasar o esvaziamento gástrico, reduzindo a velocidade de absorção de glicose e do colesterol dos alimentos, além de diminuir o tempo de trânsito intestinal e aumentar o volume das fezes e a frequência de evacuação.


Os especialistas em nutrição recomendam ingerir entre 20 e 30 g por dia de alimentos ricos em fibras, entre os quais podem ser mencionados: farinhas integrais (para fazer pão e massas), aveia, lentilhas, amêndoas, milho, grão-de-bico, ervilha, casca de batata, cenoura, abóbora, espargos, brócolos, repolho, couve-flor, alface, goiaba, manga, figo, ameixa, pêra e maçã com casca, mamão, uvas passas, limão, laranja e toranja.


Renovação celular


Fatores como a poluição, determinados produtos químicos de uso doméstico, certos medicamentos, tabaco, raios-X e pesticidas são geradores dos chamados radicais livres, compostos que aceleram o envelhecimento celular , que pode resultar em problemas graves de saúde, como câncer.


Para prevenir a produção descontrolada de radicais livres, o organismo conta com um sistema de controle, ou seja, cria os chamados antioxidantes, mas, infelizmente, a quantidade gerada, não é sempre suficiente para neutralizar sua ação. No entanto, através do consumo de determinados alimentos, incrementaremos a quantidade destes nutrientes, entre os quais devemos destacar:



  • Vitamina A. Também é chamado de retinol (quando se obtém de alimentos de origem animal) ou beta-caroteno (se for o caso de frutas e vegetais). De forma natural se encontra no fígado, peixe gordo, gema de ovo, leite, queijo, manteiga, cenoura, espinafre, damasco, brócolis, pêra, laranja, couve de bruxelas, manga, pêssego e maçã.

  • A Vitamina C É conhecida como ácido ascórbico, que é necessária para produzir colágeno, metabolizar as gorduras, cicatrizar feridas e fortalecer as defesas do organismo. Pode ser encontrado no tomate verde, melão, couve de bruxelas, couve-flor, groselhas, goiaba, morango, kiwi, laranja, toranja e limão, principalmente.

  • Vitamina E. Também é conhecida como tocoferol, e existe em quatro tipos: alfa, beta, gama e delta. Está contida no abacate, brócolis, ameixa, espinafre, aspargos, maçã, banana e cenoura. Sua deficiência pode causar a destruição de células e glóbulos vermelhos do sangue, anemia, envelhecimento precoce e distúrbios da reprodução.

  • Selênio. Mineral com a capacidade de prevenir o envelhecimento precoce e câncer. Os alimentos que contêm são: carne, peixe, leite, germe e farelo de trigo, cebola, alho, tomate verde, brócolis e levedura de cerveja.

  • Ácido fólico. Também é conhecido como vitamina B9 e em combinação com a vitamina B12 (de forma natural encontra-se em leite, queijo, ovo, fígado, feijão, peixe e carne) participa na construção do ADN (ácido desoxirribonucleico, proteína que recolhe o material genético e regula o metabolismo de células), bem como na formação e maturação de glóbulos vermelhos (elementos contidos no sangue responsáveis pelo transporte de oxigênio para todo o organismo); de forma natural é encontrado em vegetais verdes, cogumelos, fígado, laranja, nozes, legumes, gema de ovo e cereais enriquecidos. Durante a gravidez, recomenda-se que o consumo de ácido fólico pode aumentar e perdure três meses depois do parto, através de suplementos vitamínicos e suplementos alimentares.

Gorduras e mais gorduras


O oncologista Lira Porto é categórico ao afirmar que 1 em cada 8 mulheres mexicanas é propensa a desenvolver câncer de mama, aumentando consideravelmente as chances que sofrem com excesso de peso.


“Os obesos são mais vulneráveis a sofrer de câncer com o consumo de gorduras saturadas. Por isso, mais vale conhecer os elementos que podem ajudar a prevenir este mal, e lembrar que, por si mesmo, nenhum alimento gera a doença mortal”, acrescenta o entrevistado.


Para diminuir a quantidade de gordura é recomendável modificar os hábitos alimentares. Por exemplo, teria que reduzir o consumo de manteiga, carne vermelha e gorduras animais, substituindo-as por carne magra (sem gordura), peixe, frango sem pele, leite e derivados lácteos descremados. Na hora de cozinhar, prefira os alimentos cozidos, assados e cozidos ao vapor, e usar óleo de oliva, já que estes alimentos parecem ter efeitos preventivos contra o câncer. Lembre-se aumentar a ingestão de fibra dietética, limitar o consumo de açúcar, sal, álcool e tabaco, principalmente.


Finalmente, o Dr. Lira Porto informa que estudos realizados em mulheres atletas, comprovaram que a quantidade de estrogênio em seu corpo é menor com relação às outras que levam uma vida sedentária. De tal forma, uma alimentação baixa em gorduras e a prática de exercício físico melhora a qualidade de vida e colaboram na diminuição dos riscos de desenvolver câncer. “No entanto, se o problema é detectado antes que o tumor alcance 1 cm, pode extirparse e, assim, se livrar do problema”.

Alimentos que aliviam a irritação da garganta

Quinta-feira 06 de abril de 2017, 04:09 pm, última atualizaçãoComo evitar a irritação de garganta com alimentação, Prevenção de infecções de garganta

Alguns produtos alimentares influenciam o nosso sistema respiratório muito mais do que imaginamos, e nesta temporada fria podem ser excelentes aliados para controlar formigamento e leve irritação da garganta, bem como tosse, expectoração, espirros e congestão nasal.

Garganta irritada por frio

As baixas temperaturas e os festejos decembrinos costumam ser combinação pouco favorável para as vias respiratóriase, por isso, é comum que nesta época do ano, se cadastre importante elevação de problemas como a garganta irritada e resfriado comum em pessoas de todas as idades.

Isso acontece porque o frio enfraquece o sistema de defesa do nosso organismo (imunológico) e porque nas noites de festa, tão freqüentes durante a temporada, é quando se ingerem mais bebidas com gelo e aumenta o consumo de cigarros (ou inalado a fumaça gerada por outras pessoas).

Assim, é comum experimentar sintomas como garganta irritada, congestão nasal e espirros ocasionais, os quais podem indicar o início de uma infecção ou resfriado, que é possível controlar para evitar seu avanço.

Em sua maioria, esses sofrimentos são causados por vírus, os quais não são eliminados com o uso de antibióticos, mas requerem atenção, pois a infecção pode progredir.

A prevenção e alívio de esse desconforto, é possível através de recursos eficazes e ao alcance de todos. Trata-Se de vários tipos de alimentos que, por suas propriedades nutricionais, fortalecem as defesas e ajudam o organismo a suportar os golpes do inverno, de modo que só com ingerimos a partir frequentemente e tomar algumas medidas de cuidados podem evitar complicações.

Como evitar a irritação de garganta com alimentação?

Se ainda não tiver sido vítima do clima ou as bebidas muito frias, é um bom momento para que você possa começar a estimular as defesas através da alimentação. Para isso, um dos recursos mais conhecidos e eficazes consiste em aumentar o consumo de vitamina C, que pode ser encontrado de maneira abundante em frutas e vegetais, tais como limão, lima, laranja, tangerina, uva, goiaba, morango, kiwi, pimentão verde, brócolis e couve.

Outros nutrientes que podem ajudar a prevenir infecções de garganta, já que agem em favor do sistema imunológico, são o selênio e o zinco, minerais presentes no ovo, cereais, legumes, queijo, frutos secos, vísceras, carnes brancas, peixes e frutos do mar.

Menção à parte merecem os lactobacilos (microorganismos benéficos) presentes no leite e alguns de seus derivados (iogurte, queijo e jocoque), já que também exercem efeito favorável sobre o sistema imune. Também são capazes de equilibrar a flora intestinal, favorecendo a boa digestão (com o que se absorvem nutrientes de que necessita o organismo para aumentar a sua proteção).

Para evitar a ocorrência de problemas respiratórios, é conveniente consumir menos farinhas e petiscos e ingerir mais frutas, legumes, lácteos e alimentos leves.

Quando inicia o formigamento na garganta…

Se te expuseste a mudanças bruscas de temperatura e, por isso, despertaste com leve irritação de garganta, é muito provável que o seu problema desapareça rapidamente e sem necessidade de medicamentos. Basta descansar um pouco e seguir estas dicas:

  • Tomar várias vezes ao dia um copo de água morna com suco de limão (rico em vitamina C) e uma colher de chá de mel (elimina dores e tosse), ou um copo de leite quente com mel. Embora, ao ingerir essas bebidas pode sentir algum ardor, em pouco tempo, você sentirá como o mal da garganta diminui.
  • Faça gargarejo várias vezes ao dia com água morna com sal (misturar meia colher de chá de sal em um copo de água).
  • Você come cebola ou alho, já que estes vegetais contêm compostos com enxofre (a eles se deve o seu forte aroma) que tem ação expectorante e mucolítica, ou seja, facilitam a eliminação de muco das vias respiratórias. O efeito dessas substâncias é maior quando esses alimentos são encontrados em estado bruto.
  • Consome abóbora, aipo, batata, figo, amêndoa, babosa, manjericão e sementes de linhaça, pois são produtos ricos em produtos mucilaginosos, elementos com ação emoliente (suavizante) sobre as mucosas (tecido macio e úmido que cobre o interior da boca, nariz e garganta), que atuam em favor do sistema respiratório.
  • Chupa (não mastiques) rebuçados ou pastilhas para a garganta, a fim de refrescarla e aumentar a produção de saliva. Este recurso não deve ser aplicada em crianças pequenas ou bebês, já que estão em risco de sofrer afogamento.
  • Por estranho que pareça, algumas pessoas comentam que tomar líquido gelado ajuda a diminuir a irritação de garganta leve. Só até certo ponto têm razão: as bebidas geladas são aconselháveis apenas quando não há espirros, congestão nasal, corpo cortado ou outros sintomas de constipação em andamento e também não devem conter álcool.

Infecção ou resfriado declarados

Quando as dores de garganta passam a ser simples aperto na garganta , um frio declarado ou tosse frequente, o consumo de água é fundamental (pelo menos, oito copos por dia), pois este líquido fortalece as mucosas, faz com que as mucosidades sejam mais leves, evita desidratação em caso de febre e permite a eliminação de toxinas.

Outra opção é tomar infusões ou chás de plantas, como eucalipto, flor de bugambilia ou gordolobo, as mesmas que, além disso, possuem propriedades benéficas para as vias respiratórias. Também é ideal o consumo de sopa ou canja quente para ingerir vegetais e a quantidade necessária de água.

As bebidas alcoólicas ou com cafeína podem causar desidratação, por isso recomenda-se não levá-los em tais casos.

Além disso, manter uma dieta leve, à base de alimentos nutritivos que podem contribuir para melhorar o mal-estar geral e a compensar a perda de apetite que chega a ocorrer. Deve ser variada e rica em alimentos que estimulam a função imunológica.

Recomenda-Se de novo o consumo de vitamina C, além de produtos que contenham minerais como zinco e selênio. Devem preparar-se em forma simples, para que sejam fáceis de digerir, o que se consegue ao cozinhá-los com pouca gordura e por meio de técnicas como cozido, cozido no vapor ou grelhado.

Lembramos que o controle das infecções respiratórias, que não só se consegue com uma boa alimentação, mas é necessário levar a cabo outras medidas, como descansar adequadamente e não exponerte a mudanças bruscas de temperatura.

Além disso, se o seu problema não melhora e, pelo contrário, apresenta temperatura muito elevada ou há suspeita de que a infecção progride, é necessário visitar o médico para realizar o diagnóstico e lhe prescreva o tratamento mais adequado.